By John Paculabo

(Por: John Paculabo ( Este artigo foi originalmente publicado na Revista Worship Leader –http://worshipleader.com/release-worship-to-the-poor/)

John Paculabo

“Deus tem uma palavra para você.” Palabras que pairavam no hall de pleno silêncio. Então as coisas pioraram; eu fui anestesiado quando o pregador apontou para mim, como um menino Anglicano, apesar de cultuar em uma igreja carismática, não esperava ser assunto de uma “palavra de instrução”no meio de um sermão. Ainda assim todos os olhos estavam fixos em mim, e eu estava um tanto constrangido. Quando ele entregou a “palavra”…”É hora de levar adoração aos pobres.”

Começo da História

Meu pensamento nisso? Ótimo, o que isso quer dizer?”
Em grande parte da minha vida eu havia crido que 50 porcento dos profetas do dias modernos são loucos, e que os outros 49 porcento iludídos, deixando uma margem muito extreita para as “palavras legítimas de Deus.” Entretanto, nesta ocasião em particular, eu havia entrado na presença de um profeta real e suas palavras vieram para mudar minha vida.

“É tempo de levar adoração aos pobres”. O que esse negócio queria dizer? Eu era a cabeça de uma gravadora com alguns dos melhores compositores de adoração do mundo, então talvez fosse para dar CDs. Eu tentei intensamente entender isso, mas no final, eu coloquei a profecia no bolso de trás e esqueci disso.
Dái seis meses depois de pé em um casebre pequeno no meio de um vilarejo na Floresta Amazônica, foi que eu entendi o significado daquelas palavras. Minha esposa e eu estávamos apoiando financeiramente um único professor para esta comunidade ( o que é uma outra longa história), e tendo pedido para ver a escola, eu fui levado para dentro desse casebre. Dentro abarrotado haviam 60 crianças; o calor parecia o inverno. Foi naquele momento que aquela frase que eu havia esquecido veio a mim: “é tempo de levar adoração aos pobres.” Em um instante, eu entendi. Muito animado eu anunciei que construiria uma escola na comunidade como um ato de adoração e então a aventura começou enquanto levávamos adoração que continua até hoje.

Centrado em Cristo

Todo esse tempo, na verdade, na maior parte da minha vida eu perdi o que Deus estava tentando me dizer, que adoração é uma palavra de ação, é ligada diretamente a amar como DEus ama e se importar com o que Ele se importa e de tempo em tempo, é ligado ao som que sai dos nossos lábios no domingo. Eu havia ouvindo dentro da minha cabeça e tentando entender as coisas, ao inves de ouvir o meu coração e responder aos alertas de Deus. Em 2003 eu tinha 57 anos, e por grande parte da minha vida Cristã eu não ‘saquei’ o que a preocupação e o amor de Deus eram para com o pobre.

O pobre/necessitado sempre esteve próximo do coração de Deus. Jesus se refere a eles e declara no seu ministério, e repete o que disse quando os discípulos de João o desafiaram acerca de quem ele era. “Voltem e digam a João o que você vê, o surdo ouvir, a paralítico andar, o cego enxergar, e as boas novas estão sendo pregadas aos pobres.” Jesus passa tempo com os pobres, come com eles, os cura, os alimenta, vive a vida com eles. E eles são assunto de uma de suas paixões e sermões diretos (veja Mat. 25:31-46). Muitos disseram, adoração que é centrada em Cristo é adoração que tem percepção para os pobres e os marginalizados.

Como ele Ama

Na Bíblia, o livro que nos dá uma referência em como viver nossas vidas, existem mais de 2000 referências aos pobres e, como cristãos, deveríamos responder as necessidades deles ( esta informação é do website da Compassion International, um ministério que ajuda crianças vivendo em pobreza). Lemos isto e pode ser que enquanto isso se faz entendido para nós, nossos coração simplesmente não entendem.

Eu fiquei impressionado no último Natal quando eu percebi isto, por todo mundo, Cristãos reunidos para cantar “Oh Vinde Adoremos”, e fizemos isso como tanto estilo e petulância que nossos corações dispararam. Mas verdadeiramente, se nós realmente entedessemos o que nós estávamos cantando, então nossa adoração seria extendida a amar o que Jesus ama, e se importar com o que ele se importa. É uma questão de integridade na adoração, onde nossas ações seguem nossas palavras.

Nós, que amamos a Deus, que o adoramos, que levamos outros em adoração, temos a responsabilidade de mostrar nossa adoração através das nossas ações. Pois se nós não cuidarmos dos pobres e nos firmar contra injustiça em nossas comunidades, na nossa cidade, no nosso país, e no nosso mundo, como a vontade de Deus será feita?
Nosso Deus é um Deus incrível, e dá poder a homens e mulheres comuns para fazerem grandes coisas através do seu poder. Agora é tempo para agir. É tempo de nos pronunciarmos; é tempo de fazer a diferença. Injustiça e pobreza estão por todo lado e é tempo de liderar a adoração centrada em Cristo, amar quem ele ama, se importar por quem ele se importa. É tempo da Igreja levar adoração aos pobres!

John Paculabo, conhecido como John Pac, foi Diretor/Presidente da Kingsway Music, uma gravadora Musical Cristã no Reino Unido com compositores como Matt Redman, Tim Hughes, Brenton Brown, Stuart Townend, e muitos outros. Kingsway é a origem de muitas músicas de adoração popular moderna da atualidade. Ele faleceu em Janeiro, 2013, mas a paixão dele por adoração e justiça ainda vive.

Pin It on Pinterest